Ensino Pré-Escolar

É a educação das crianças cujas idades variam entre três e cinco anos antes delas iniciarem o ensino fundamental. Esse tipo de ensino é oferecido principalmente em escolas particulares. Existem também as creches para crianças abaixo de dois anos de idade. As escolas que oferecem ensino pré-primário se concentram em sua maioria nas metrópoles e cidades semi-urbanas onde existem mães trabalhadoras sem parentes ni empregadas para cuidar dos seus filhos.

Ensino Primário

Refere-se ao ensino oferecido normalmente às crianças de entre seis e onze anos de idade e acima. Uma vez que o ensino fundamental é a base de todo o processo de ensino na Nigéria, o mesmo constitui-se em um nível-chave que determina o sucesso ou o fracasso do sistema todo.

Os governos estaduais e municipais têm a responsabilidade inerente na constituição da Nigéria de cuidar do esnino primário, porém, o setor privado, representado por pessoas físicas, comunidades, grupos religiosos e agências de voluntários podem adquirir o direito de abrir e manter suas próprias escolas de ensino fundamental. As escolas particulares, de praxes, cobram mensalidades, enquanto as escolas públicas apenas cobram mensalidades simbólicas. Os pais confecionam uniformes, compram livros e demais materiais escolares em ambas escolas particulares e públicas.

Gestão do Ensino Primário

O Conselho Nacional de Ensino Fundamental cujas atribuições incluem as seguintes:

- Detreminar o mínimo padrão para o ensino primário em toda a Nigéria.
- Investigar e aconselhar o Governo sobre como financiar o ensino primário na Nigéria.
- Gerenciar o Fundo Nacional de Ensino Fundamental conforme estabelecido pelo Governo Federal e destinar os fundos aos órgãos devidamente designados por cada Estado e pelo Território da Capital Federal, Abuja, destinar os fundos às agências responsáveis pelós projetos de ensino primário patrocinados por órgãos Especiais do Governo Federal.
- Reunir, após a consulta com todos os Governos Estaduais, os planos mestres periódicos para um desenvolvimento balanceado e coordinado da educação fundamental na Nigéria.

Educação Especial

A educação das crianças que vivem com deficiências não era considerada um investimento muito relevante até muito recentemente. De fato, a primeira escola para as crianças que vivem com deficiêcias (a exceção das crianças dotadas) foi estabelecida por missionários em 1932. No entanto, em 1974, o Governo achou por bem dar à escola a devida prioridade merecida por ela. Desde então, cada Estado da Federação vem suprindo as infraestruturas de integração para as crianças que vivem com deficiências de acordo com a política do Governo Federal.

A educação especial é uma espécie de ensino para crianças e adultos com dificuldade de aprendizagem devido a vários tipos de deficiências. Assim são incapazes de lidar com as estruturas normais de uma sala de aula e métodos, sem recursos especiais de apoio.

Há também as crianças talentosas e dotadas que são inteletualmente preciosas e não se sentem suficientemente desafiadas pelos programa oferecidos pelas escolas normais, e que podem apresentar problemas de comportamento como forma de resistência. O Governo detreminou que todas as crianças excepcionais devem se enquadrar dentro da Política Nacional de Ensino.

Ensino Básico para Nômades na Nigéria

Uma outra área que chamou a atenção especial é a educação da população nômade da Nigéria. Ao perceber que as necessidades educacionais desse grupo não estavam sendo atendidas por canais regulares, o governo estabelece um Conselho de Assessoria Nacional para cuidar da educação nômade no país.

Essa política resultou na abertura de 65 escolas regulares, 46 escolas in loco, 10 escolas móveis e no número de matrículas de (6.575) filhos de nômades em quatorze estados da federação e (2.744) adultos em 89 turmas disponibilizadas em três estados da Nigéria. O que leva a um total de 0,35% (22.692), o número de pastores adultos e crianças nômades beneficiados por esse esino.

A cifra citada acima de nômades que já tiveram uma forma de instrução ou estão sendo instruídos, em comparação com a estimativa de 6,4 milhões da população instruída é muito pequena. Portanto, para alcançar a meta da educação para todos no próximo milênio é necessário o maior apoio das pessoas físicas, dos governos municipais, estaduais e federal como também o das agências internacionais.