HISTÓRIA COLONIAL


A colonização iniciou-se na Nigéria com o tratado da Colônia de Lagos em 1861, seguido por uma série de ‘pacificação’ de diversos territórios. A campanha persistiu até o início do século 20, com a amalgamação dos protetorados do Norte e do Sul em 1914. E um conselho legislativo, inicialmente com a pequena representação Africana, foi fundado em 1922. Os líderes tradicionais nativos, porém, governavam os vários territórios sob a supervisão das autoridades coloniais. Em 1947, um regime de governo federal foi estabelecido com uma nova constituição para a Nigéria introduzida pelo Reino Unido. O regime teve bases nas três regiões: Leste, Oeste e Norte. A idéia era de reconciliar as tensões regional e religiosa e absorver os interesse de diversos grupos étnicos: predominantemente os Igbo (no leste), os Yorubá (no oeste) e os Hauçá e Fulani (no norte).

Antes da independência, os nacionalistas levaram adiante a sua reivindicação pela ampliação dos direitos eleitorais e pela realização de eleições diretas. Isso resultou na anulação da constituição de 1947 e na introdução de um governo ministerial em 1951. A federação se tornou autônoma em 1954.

As reivindicações conflitantes para a autonomia e um governo central por vários grupos políticos forçaram os britânicos em 1954 a estabelecer uma medida de compromisso para acomodar as demandas conflitantes. Nesse plano, foi criado um governo federal, com ampla autonomia regional. Poderes específicos foram cedidos ao governo federal inclusive a defesa, a polícia, os termos do comércial nacional, tarifas alfandegárias, finanças e instituições bancárias.

A responsibilidade para os demais serviços na saúde, agricultura, educação e desenvolvimento econômico ficou com as Regiões. A Federação da Nigéria obteve a independência em 1º de outubro de 1960.

 

 

GOVERNO - FEDERAÇÂO NIGERIANA

Cada estado da federação nigeriana tem uma legislatura unicâmara chamada Assembléia Legislativa Estadual.

A longa história da intervenção colonial durou mais de 100 anos. O regime militar, que surgiu após a independência em 1960, findou finalmente em 1999 com a volta à democracia.